Já passaram por aqui!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

SAL, FARINHA E PANQUECAS.



“E estava ali a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta. Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.” (João 4:6-7) 




Em cima do armário da cozinha há um pote de vidro. Como geralmente esse tipo de utensílio é dirigido às mulheres (nossas amadas mulheres!), também se pode ver desenhos de bolinhos e biscoitos nele e os dizeres em caligrafia cursiva"Farinha" Ao fazer um bolo, uma bandeja de biscoitos ou uma simples panqueca para o café da manhã é para lá que a dona de casa se dirige: ao pote de farinha. Precisa daquele ingrediente para que, juntamente com tantos outros, possa fazer deliciosos manjares. 

Certo dia, como sempre faz, ela vai ao armário pega a farinha, mistura aos demais ingredientes e, feita a massa, despeja pequenas quantidades em uma frigideira e assa panquecas, uma por uma. Ao sentar-se a mesa, “tendo dado graças”, põe uma panqueca em seu prato, despejando sobre ela uma cobertura de caramelo. Só pela cena já sentimos água na boca! Mas que tamanha surpresa ao perceber que algo está estranho. Aquilo que deveria ser doce está insuportavelmente salgado! Não há quem coma, não há que suporte! A panqueca está muito salgada! Quão tamanha surpresa ao descobrir que, ao invés de farinha, havia colocado sal! 

Ao analisar de onde havia partido o erro, logo percebe que o pote onde deveria haver sobre “farinha”, estava repleto de sal, até a borda! Como alguém seria tão mal a ponto de trocar os ingredientes, sabendo que logo que usados seriam percebidos e que causariam tão grande mal estar!? Um momento de prazer tornou-se em tragédia! 

Em diversas passagens a Bíblia nos compara a “vasos”, ou no enredo da nossa história, “potes”, e estes devem ser preenchidos corretamente para que não se dêem por sabotados. Assim como um pote de farinha deve ser preenchido com “farinha” e somente por ela, nós também devemos ser preenchidos corretamente com aquilo que nos complete e sirva à finalidade para a qual fomos feitos. Deus nos criou para um propósito, uma finalidade. Ele nos fez para que dentro de nós houvesse algo que nos preenchesse e somente esse “algo” nos abastecesse por completo, servindo para que corrêssemos a carreira (I Tm. 4:7), para alcançarmos o fim que ele nos propôs. Para que compreendamos melhor a ilustração, vejamos um exemplo bem prático. 

No Evangelho de João em seu capítulo 4 vemos a descrição de uma mulher que estava junto a uma fonte, quando Jesus lhe pede “Dá-me de beber!”. No decorrer do texto Jesus se revela como “água viva”, e que somente ele poderia preencher a sua vida. Como ela, muitos de nós estamos com nossos vasos vazios ou, o que é pior, cheios de coisas que não deveriam estar ali nos enchendo. 

Quando Jesus diz: “Dá-me de beber!”, Ele quer saber o que preenche a sua vida, isto é, se aquilo que está dentro de você é apto para saciar a sua sede e a de quem está ao seu redor! “Dá-me de beber!” é mais que um pedido, é um questionamento sobre o que realmente tem completado a sua vida, o que tem transbordado em você e lhe ajudado a compreender a sua finalidade nessa Terra. 

É frustrante vermos tantas pessoas “cheias de vazio”, sabotadas por aquele que se dispõe todos os dias a tentar nos corromper e nos distanciar do nosso verdadeiro rumo, colocando em nós conteúdo totalmente estranho, que de início pode até apresentar-se adequado, mas logo descobre-se ser de sabor intragável. Onde deveria haver “amor a Deus” ele coloca “orgulho”, “desobediência” ao invés de “santidade”, “desconsolo” no lugar de “fé”, “tristeza” onde deveria existir “verdadeira alegria”. 

Ora, se somos de uma vez por todas preenchidos pelo Espírito Santo, conscientes do nosso pecado e da nossa necessidade de santificação, não devemos dar lugar a mais nada em nossa vida que não venha de Deus! Ele é a nossa “farinha”, o nosso ingrediente essencial, para quem seremos verdadeiramente úteis, e assim cumpramos a finalidade de vivermos “(...)para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado (Ef. 1:6). 

Imagine-se num café-da-manhã com seus melhores amigos: Que tipo de “panquecas” você poderá servir? Que sabor elas terão? Que ingredientes você usou? Estarão doces e crocantes ou salgadas e intragáveis? Seus amigos retornarão outra vez ou esta foi a última vez que estiveram ali com você? Não se deixe preencher por coisas que não servirão pra você, que não lhe trarão a Verdadeira Paz. Tudo isso pode até te dar alguma sensação de “estar completo”, mas logo se mostrará insuficiente para preencher o vazio que só Deus pode preencher! Deus tem o ingrediente certo para que preencher o seu pote, a “farinha” ideal! Deixe que ele preencha toda sua vida!







Um comentário:

  1. Graça e paz!
    Parabéns pelo seu espaço, vim conhecê-lo e já sou sua seguidora.
    Deixo o convite para que vc apareça lá no blog também.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir